sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Ventisquero Grey


Ventisquero Grey não pretende pegar carona no lançamento do filme Cinquenta Tons de Cinza. Seu compromisso é com vinhos de gleba única (single block) que mostram um terroir diferenciado.

A maior parte do mundo do vinho vive de vinhos de mesa, ou seja, o tipo de vinho que é apreciado há milhares de anos. Uvas de diferentes antecedentes e campos são misturadas, combinadas e fermentadas, gerando um produto final palatável. E isso é maravilhoso. Na era moderna, isso significa uniformidade de um ano para outro, de forma que que a sua garrafa de "Adega do André 2010" tenha praticamente o mesmo paladar de uma garrafa de "Adega do André 2012". A Coca-Cola não se tornaria uma gigante das bebidas se seu produto fosse passível de sofrer num determinado ano por causa do mau tempo ou de pragas e pulgões diversos, ou se o produto só estivesse pronto para beber depois de descansar por vinte anos. Esses vinhos (de mesa) são o combustível da indústria vinícola e pagam as contas das importadoras e adegas. Sem eles, não poderíamos sentar ao redor de uma mesa e debater longamente sobre nossos vinhos preferidos de regiões absconsas, vinificados com esmero em pequenos lotes.

Acho que esta linha de vinhos da Ventisquero consegue um belo equilíbrio, porque, nele, temos as vantagens da expressão de um vinhedo único e diferenciado aliadas a preços nada exorbitantes, e a distribuição é razoavelmente ampla - não é difícil encontrar esses dois tintos, além das outras cinco garrafas com a mesma etiqueta.

Ventisquero Grey Single Block Pinot Noir 2012
Vinhedo Las Terrazas, Vale do Leyda
100% Pinot Noir
R$94 (Enoteca Brasil), 13,7% abv.
O Pinot Noir chileno continua melhorando ao longo dos anos, mas eu gostaria de ver como este se desenvolverá nos próximos anos. No momento em que degustei, ele se apresentou vivo e com excelente acidez, com perfil predominante de cereja vermelha fresca. Ainda é bastante jovem, com taninos médios, mas espero que eles se suavizem daqui a uns dois anos.

Ventisquero Grey Cabernet Sauvignon 2011
Vinhedo Trinidad, Vale do Maipo
96% Cabernet Sauvignon, 4% Petit Verdot
R$99,80 (Enoteca Brasil), 14% abv.
O Cabernet Sauvignon, por sua vez, já está prontíssimo para beber, escoltado por um belo churrasco. Ele mostra ameixa preta e um toque de chocolate, com aromas sutis de tabaco e folha de tomateiro verde*. Não há dúvida de que seu estilo é o de um bordalês jovem e, com uma hora de decantação, está pronto para ser desfrutado com carnes vermelhas.

(*) Sim, caro leitor, eu já cheirei muita folha de tomateiro verde. Anos atrás eu tinha uma hortinha no jardim de casa, na qual plantava tomates verdes. Se você nunca chegou perto de um tomateiro e sair por aí dizendo que encontra esse descritor de aroma em tudo quanto é tinto que beber, não vá pôr a culpa em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário