domingo, 17 de agosto de 2014

Verdejo espanhol


A ampelografia é o ramo da botânica que trata da identificação das variedades de uvas. Isso sempre foi feito pela identificação do formato das folha da videira e da cor dos frutos, mas hoje em dia usam-se testes de DNA. O amável leitor pode achar que essa abordagem científica faria todos se acalmarem e concordarem racionalmente sobre a origem verdadeira de cada uva, mas, nesse caso, o amável leitor nunca assistiu ao Programa do  Ratinho ;-)

Verdejo é uma uva vinífera branca que se originou no norte da África e é plantada na região produtora espanhola de Rueda desde o século XI. Ela não tem absolutissimamente nada a ver com a uva Verdelho, famosa na portuguesa Ilha da Madeira. Aliás, ela também não tem nada a ver com a variedade italiana Verdello, que, por coincidência, é um dos nomes espanhóis de uma quarta uva totalmente diferente, mais conhecida como Pedro Ximénez. Para complicar as coisas, existem pela aí livros obsoletos sobre vinhos que agrupam todas essas uvas como se fossem uma só. Há pessoas que tendem a acreditar que, quanto mais antigo for o livro, mais fiel à verdade ele será. Acontece que estamos falando de Biologia. Espero que o amável leitor não recorra às orientações médicas da Idade Média para se curar de uma doença facilmente curável pelos métodos modernos.

2013 Protos Verdejo
Rueda, Espanha
100% Verdejo
€5,95 (Preço na Espanha), 13% abv.
Este vinho se abre logo no nariz, com vivacidade e toques frutados (pêssego e abacaxi). Na boca, sua acidez é média, com um final floral delicado. Este vinho já foi avaliado pelo meu amigo e confrade Jeriel (www.blogdojeriel.com.br) em 2010, mas ele escreveu sobre a safra 2008 (vide http://blogdojeriel.com.br/2010/07/protos-verdejo-rueda-2008-vale-a-pena-conhece-lo/).


Yllera Verdejo 2012
Rueda, Espanha
100% Verdejo
US$ 10 (Preço nos EUA), 12,5% abv.
Este verdejo é mais suave, com um corpo mais redondo e estilo bem mais contido. Na boca, um levíssimo toque de bergamota e um final bem leve. Tive a felicidade de ganhá-lo de um amigo em minha última visita aos EUA.

Ambos são vinhos perfeitos para dias quentes, e seu baixo preço (inclusive no Brasil, por volta de 45 ou 50 lascas) faz com que sejam ideais para reuniões informais com amigos. Basta levar à temperatura certa (10 ou 12°C) e desfrutá-los com queijos, frutas e embutidos em geral.

Salud!

Nenhum comentário:

Postar um comentário